Olá amigos leitores! Na edição passada, deixei uma pergunta para vocês: Para que serve o espelho retrovisor?

Como vimos anteriormente, diferente do que pensávamos, o freio não é só para frear o carro. Sua função vai além, e nós, muitas vezes focados só no que é óbvio para nós, enxergamos, de forma limitada, a sua função.

Será que os espelhos retrovisores seguem a mesma linha dos freios? Vamos analisar juntos!

Os espelhos retrovisores, além de ser um item obrigatório de qualquer veículo, desempenham um papel fundamental na condução segura de um veículo nas ruas, principalmente nos dias atuais, em que as vias estão sempre lotadas de carros. Seu uso incorreto resulta em acidentes laterais, fechadas em outros veículos, buzinadas e acidentes, principalmente com motocicletas.

Mas para que a sua função, de fato, se cumpra, precisamos saber utilizá-los, posicionar corretamente, e principalmente, olhar para ele, a cada manobra que pretendemos realizar. Porém, não podemos seguir “dirigindo”, olhando somente para eles.

O que aconteceria se dirigíssemos olhando somente os espelhos retrovisores? Certamente causaríamos um acidente! Mas ainda sim, ele é essencial para nossa segurança.

O que quero dizer é que, precisamos sempre estar atentos ao que estamos fazendo. Quando entro no meu carro, eu sei exatamente de onde estou partindo, para onde estou indo, e normalmente, qual o trajeto que preciso percorrer para chegar ao meu destino. E, para que isso aconteça, eu utilizo as ferramentas que possuo em meu carro. Acelero, freio e principalmente, olho os espelhos para verificar o que está a minha volta. Se estou com o carro em movimento, ele me ajuda a verificar os outros carros nas laterais, atrás e toda a movimentação que está ocorrendo. Se estou parado, eles me servem para verificar se há alguém se aproximando, qual a movimentação que está acontecendo.

Agora, vamos voltar o nosso olhar para nossas vendas: quando estamos em um processo de vendas, muitas vezes somos traídos pela nossa vã experiência, quero dizer, se o processo está seguindo por um caminho, temos a tendência de agir da mesma forma antes feita. Quando se trata de um cenário favorável, isso é ótimo, pois em time que está ganhando, não se mexe, não é mesmo?! Mas e quando o cenário não é favorável? É aí que entra os nossos espelhos retrovisores: eles nos ajudam a mostrar que podemos mudar a direção! Que a movimentação que aconteceu atrás (no passado), nos sinaliza que devemos mudar a direção de forma segura, mas para isso, nossos espelhos retrovisores precisam estar adequadamente posicionados.

Precisamos ter uma visão 360º do nosso contexto, das nossas vendas, mas sempre lembrando que é para frente que estou indo! Ter clareza de onde estou e para onde vou, e mesmo que tenha traçado uma trajetória em minha cabeça, posso mudá-la, caso perceba que há um caminho melhor, ou que o caminho que a princípio escolhi não vai me fazer chegar dentro do prazo que tenho, por exemplo.

Imprevistos, mudanças bruscas de direcionamento, tudo pode interferir, positiva ou negativamente, para o atingimento de nossas metas. O importante é saber quais as ferramentas que possuo e saber utilizá-las, de forma adequada, para chegar onde quero.

Portanto, siga olhando pra frente, mas sabendo o que está acontecendo a sua volta! Mantenha-se atento aos sinais, aos reflexos, e saiba que o trajeto pode ser alterado, para que você chegue ao seu destino, e sempre que se fizer necessário, olhe para trás, e veja o quanto já percorreu para chegar até aqui!

Mais uma dica: Cole uma etiqueta no vidro traseiro do seu carro com o valor da sua meta do mês, assim que sentar e olhar para trás saberá que tem um valor para buscar.

Sigamos avante!

Boas vendas e até a próxima!

 

 

Artigo de Américo José da Silva Filho para o Novo Meio

 

 

Autor Américo José

É sócio-diretor da Cherto Atco, formado em Propaganda e Marketing. Atua há mais de 20 anos como consultor de empresas, desenvolve e ministra programas de treinamento. Colaborador das revistas Abcfarma, Novo Meio e Meu Próprio Negócio.

Mais posts de Américo José

Deixe um comentário