Atualmente o sétimo segmento em termos de faturamento no mercado de franquias, o setor de Educação e Treinamento é um dos que pelo menos nos últimos três anos, tem crescido mais em termos de faturamento do que em números de unidades, ou seja, as redes estão em expansão e não estão dividindo faturamento entre as suas unidades e sim tendo melhor performance.

Entretanto, a maioria das redes de Educação e Treinamento é formada por escolas de idiomas, reforço escolar ou ensino profissionalizante. São poucas as redes de franquias de ensino infantil, ensino regular ou superior, por exemplo. Já ouvi algumas vezes, de pessoas do setor ou mesmo de clientes, que o conceito de franquia, de replicação de know-how não é para educação, e sim “para lojinhas”, que o setor é muito mais complexo que o varejo e que por isso franquia não faz sentido. Um dos fatores que ajudaram a construir esse conceito é o receio da perda de controle sobre a operação e, por consequência, da qualidade do ensino, do relacionamento com os alunos e comunidade.

Franquia é um dos canais que mais permite controle sobre a operação – em comparação perde somente para unidades próprias – e um dos aspectos que contribuem muito para isso é o uso de ferramentas de tecnologia. É comum em redes de franquia o uso de um software de gestão único em todas as unidades e que a franqueadora tenha acesso às informações desse. Isso permite que a franqueadora possa ajudar o franqueado em termos de performance e ter acesso a base de dados dos alunos, frequência, notas etc.

É possível aproveitar o sistema ainda mais, incluindo indicadores-chave, análise do CRM, relatórios de sala de aula e em função dessas informações a estruturação de processos de acompanhamento e suporte frequente à operação, principalmente a distância.

Também, outro fator importante é o uso da tecnologia para capacitar a distância, constantemente, os colaboradores da unidade, a partir de plataformas de ensino que suportem vídeos curtos, conteúdos relevantes para a operação e também interação com a franqueadora, para que essa se faça presente mesmo sem estar fisicamente lá. Ainda, há ferramentas que podem ser utilizadas para diminuir a dependência das unidades na realização de algumas atividades, utilizando ferramentas de ensino a distância para que o centro/franqueadora dê parte do conteúdo de aulas, seja preparatório ou mesmo em sala de aula, como fazem diversas redes de cursos preparatórios para concurso público, que utilizam o ensino satelitário, mesclando com aulas/discussões presenciais ou mesmo redes de idiomas que fazem uso de aulas via internet para alguns conteúdos, mesclados com aulas presenciais de conversação. Esses elementos, em conjunto com outros importantes para o sucesso das redes de franquias, como marketing, suporte em campo, treinamento e relacionamento podem permitir que mais empresas de educação passem a utilizar o franchising como o canal para expansão e contribuam ainda mais para a expansão desse segmento.

Autor Paula Marques

Líder de Processos da Cherto Consultoria

Mais posts de Paula Marques

Deixe um comentário