Artigos

NRF 2017: espaço para café vira diferencial para o varejo

Por 16 de Janeiro de 2017 Sem comentários

UOCafe_UrbanOutfittersUm fenômeno do varejo que vem se fortalecendo nos últimos anos e ainda é menos comentado é o aumento da presença de alimentação, especialmente cafés, como forma de diferenciação das lojas físicas.

Só para citar alguns exemplos recentes, que tenho visto aqui em Nova York nesses dias:

– a loja Ralph Lauren da 5ª Avenida tem um café maravilhoso

– a rede de livrarias Barnes & Noble sempre teve e vem potencializando seus cafés

– a nova Urban Outfitters da 6ª Avenida tem um café bem em linha com os atributos da marca

– as Flagships da Samsung ligam o menu de café aos produtos e serviços das lojas

– e até mesmo a Target nova ao lado do WTC tem um café charmoso em parceria com uma marca de iogurtes

A lógica por trás disso vai além do café em si. As empresas estão criando um novo momento de consumo dentro da loja, com um espaço para descontração que ajuda a reduzir a velocidade do cliente no ponto de venda. Isso cria a possibilidade de uma relação mais forte e completa, ainda mais multissensorial, que pode mudar a relação afetiva entre o consumidor e a marca.

É um movimento ainda pouco comum no Brasil, feito eventualmente de forma funcional em varejistas de grande superfície. Mas isso pode render bons frutos se for utilizado de forma correta.

Porém, cabe aqui um aviso importante: ter uma máquina de Nespresso na loja não tem nenhuma relação com este conceito! A interação  deve ser muito mais completa e profunda do que isto.

Autor Fernando Campora

É sócio-conselheiro da Cherto Consultoria e ex-presidente da International Franchising Consultants Network (IFCN). Formado em Administração pela EAESP/FGV, já coordenou mais de 600 projetos de estratégia de canais de vendas. É coautor dos livros “Franchising – uma estratégia para expansão de negócios” e “Mais que Franchising”.

Mais posts de Fernando Campora

Deixe um comentário