No mundo atual, estamos vivendo diversas mudanças. É como aquela velha canção: “…tudo muda, o tempo todo, no mundo, não adianta fugir…”
Já pararam para pensar quanta evolução, quanta inovação, trazem os automóveis? Os freios, que antes eram precários, porém atendiam as necessidades de uma época, hoje possuem alta tecnologia, visando atender as demandas atuais – carros mais velozes, pistas cada vez mais aderentes, pessoas cada vez mais aceleradas.
Cada vez mais equipados, os veículos possuem computador de bordo, câmbio automático, kit multimídias, etc. É a evolução… tudo tecnológico, quase tudo automatizado.
Porém, há um item que desde que os veículos são veículos, não sofreram – ou se sofreram, foram pouquíssimas – mudanças: o para-brisa!
Sua funcionalidade é tão atual, que dispensa modificações, atualizações, mudanças. O máximo que fazemos é trocar o vidro, substituí-lo, devido ao desgaste ou quebra (em algumas situações), por um novo!
Se olharmos para a nossa vida, será mesmo que precisamos inovar tanto, mudar tanto, fazer tudo sempre diferente? Nossos valores, respeito, ética, nossa essência, não necessariamente precisam mudar, para que possamos inovar, quando necessário. E o melhor, isso não requer nenhuma tecnologia!
Em vendas, não precisamos inovar sempre! Precisamos sim, ser criativos, mas não necessariamente, inventivos, o tempo todo!
Sabemos que, cada vez mais empresas e profissionais precisam oferecer produtos e serviços de acordo com o nível de exigência de seu consumidor – que a cada dia está mais alto. Mas isso não significa fazer sempre diferente, como versões de automóveis!
A nossa criatividade, a nossa inovação está no nosso atendimento, no nosso relacionamento com esse cliente, cada vez mais customizado, cada vez mais personalizado. Isso é o que nos diferencia, e que garante fidelização e sustentabilidade de nosso negócio.
Usar tecnologia, nos ajuda sim, e muito! Mas nem sempre dispomos disso. Ela também falha!
Imagine você, 100% dependente do sistema operacional e da internet, por exemplo, para vender, e sua internet não está funcionando, ou por algum motivo, a rede elétrica está paralisada: e aí, fechamos a loja e voltamos para casa?
O jeito é usar a criatividade e seguir em frente. Podemos voltar ao velho processo manual de “tirar pedidos”, quase à luz de velas.
O que quero dizer com isso é que, independente do quanto de tecnologia e inovação temos disponível, para facilitar e acelerar as nossas vendas, não podemos nos esquecer que quem faz acontecer somos nós! O resto são apenas ferramentas.

E que assim como o para-brisa, com o tempo, podemos nos desgastar, ter uns arranhões, mas que a nossa funcionalidade nunca esteve tão atual como agora!
Não precisamos somente de inovação nas ferramentas, mas de criatividade nas nossas atitudes, na forma como nos relacionamos com as pessoas, buscando novas formas de fazer o que já fazemos, para atender as expectativas e exigências do nosso – novo – consumidor.

Boas vendas!

Artigo de Américo José da Silva Filho para o Novo Meio

Autor Américo José

É sócio-diretor da Cherto Atco, formado em Propaganda e Marketing. Atua há mais de 20 anos como consultor de empresas, desenvolve e ministra programas de treinamento. Colaborador das revistas Abcfarma, Novo Meio e Meu Próprio Negócio. Colunista da Folha de S.Paulo

Mais posts de Américo José

Deixe um comentário