Ao se discutir o bom desempenho das franquias, é comum que franqueados e franqueadores valorizem vários aspectos técnicos do Franchising, como o treinamento constante, o poder de trabalhar em rede para divulgação da marca, etc. Mas será que basta só dominar o lado técnico do negócio para se obter sucesso? Eu acredito que não. E entendo que desenvolver a liderança é um dos aspectos essenciais para o bom desempenho da empresa.

Saber gerir pessoas é um aspecto fundamental para qualquer tipo de negócio, certo?  Mas nas franquias essa questão é ainda mais relevante. A meu ver, os franqueadores, além de enfrentarem o desafio de ensinar franqueados a serem bons gestores de equipe, ainda têm uma tarefa adicional: eles mesmos precisam ser bons líderes. E mais: precisam ser líderes de outros líderes.

Afinal, todo franqueado em essência deveria ser um líder inspirador da sua equipe de loja, já que é dono de um negócio próprio e por este negócio assume total responsabilidade. Um ótimo franqueador, portanto, seria aquele que lidera e inspira seus líderes a se tornarem melhores líderes também. Só assim é possível multiplicar essa liderança e fazer com que haja uma boa gestão de pessoas em toda a rede – desde a franqueadora até cada uma das unidades franqueadas.

Liderar uma rede com 10, 50 ou 500 unidades franqueadas é um grande desafio. E só dá certo quando a empresa tem no comando um grande líder. Sem ele, cada unidade da rede andaria por caminhos diferentes, cada um remando para o lado que mais acredita, e sem um único horizonte que os una para ser almejado.

Por isso, uma rede de sucesso é aquela comandada por alguém que sabe ouvir, compreender e respeitar seus franqueados, engajando cada um no mesmo propósito. A liderança deve ter compromisso com a verdade, assumindo erros sem medo e com transparência total.

É bom lembrar que os líderes mais admirados não são os ’’bonzinhos’’ ou mais “democráticos”, tampouco os que só querem se “impor”’, mas sim aqueles que têm a coragem de criar mudanças que muitas vezes podem doer, mas que acreditam que o remédio amargo também pode curar.

Os bons franqueadores que conheço são excelentes líderes e fontes de inspiração para todos nós. Porque além de terem todas as características essenciais à liderança – saber escutar, se comunicar com transparência e firmeza, apontar caminhos e engajar a equipe – eles ainda são capazes de liderar outros líderes e convencê-los a seguir a sua própria trajetória, com a mesma paixão com que um dia o próprio franqueador começou o seu negócio.

 

Autor Filomena Garcia

É sócia-conselheira da Cherto Consultoria e membro do Conselho de Ética da Associação Brasileira de Franchising (ABF). Publicitária com MBA pela Universidade de São Paulo (USP) e pela Universidade de Nashville-EUA e especializada em Varejo pela FGV-SP. Coautora dos livros “Franchising – Uma Estratégia para a Expansão de Negócios” e “Marketing para Franquias”.

Mais posts de Filomena Garcia

Deixe um comentário