A ansiedade é o mal do nosso século. Queremos que tudo aconteça na hora, vivemos com a sensação de estarmos sempre atrasados, pensamos sempre na próxima coisa que teremos que fazer. E assim os dias voam e nos deixam com a sensação de nem termos visto o tempo passar. As tarefas acumulam e – adivinhe! – a ansiedade só aumenta.

O trabalho é um dos locais onde a ansiedade se manifesta de forma mais intensa. Em primeiro lugar, ficamos sempre atentos para qualquer mensagem que chega, com medo de perdermos um whatsapp do chefe ou um e-mail do cliente. Ou se fomos nós que enviamos a mensagem, checamos de segundo em segundo se a resposta já chegou.

O problema é que, ao ficarmos em estado permanente de alerta junto ao celular, deixamos de nos concentrar plenamente nas tarefas realmente relevantes. E perdemos um tempo precioso que deveria ser gasto produzindo, e não esperando por mensagens que muitas vezes nem sequer são importantes – e muito menos urgentes.

Checar o celular a todo instante é um dos hábitos que deveríamos rever urgentemente. Eu sei que não é fácil. E sei também que, na maior parte do tempo, devemos estar à disposição do chefe e, principalmente, dos clientes. Porém, se não nos policiarmos para manter a concentração e esquecer um pouquinho o celular, o trabalho não vai andar. Lembre-se disso da próxima vez que interromper um raciocínio importante para verificar seu smartphone.

Outro grande foco de ansiedade são os prazos. Como estamos cada vez mais ocupados e atarefados, a ansiedade com as datas de entrega só tem aumentado. Quem ocupa posição de chefia costuma ter mais um agravante: além de ficar ansioso pela conclusão de suas próprias tarefas, ainda sofre com as datas de entrega dos subordinados.

O resultado é uma cobrança incessante – sobre você mesmo e sobre os colegas. Quantas vezes por dia seu chefe lhe interrompe para perguntar se está tudo bem com seu projeto e se você vai mesmo conseguir entregá-lo no prazo? Quantas vezes por dia ele faz alguma cobrança ou lembra das tarefas que você tem que cumprir? E você, que ocupa posição de chefia: quantas vezes por dia você atrapalha o trabalho dos seus funcionários para perguntar “tem certeza que vai dar tempo?”

Atitudes como essas não fazem bem para ninguém. É claro que há pessoas irresponsáveis, que precisam mesmo ser cobradas. Mas elas não são a maioria. Precisamos lembrar que interrupções constantes causam enorme perda de produtividade. E essa ansiedade toda só nos deixa mais paranoicos e estressados. Parece que estamos vigiados, sempre com a faca no pescoço. E ninguém consegue trabalhar bem nessas condições.

Por isso, eu diria que uma das coisas mais importantes para um profissional hoje em dia é saber controlar a ansiedade. Ela pode ser uma aliada poderosa se você souber usá-la a seu favor. Que tal canalizar essa energia para se transformar em uma pessoa mais organizada, que planeja suas tarefas, organiza seu tempo e se concentra em uma coisa de cada vez?

A única forma de combater a ansiedade é se concentrar no tempo presente. Ter foco no que está acontecendo aqui e agora, sem distrações e sem devaneios sobre o passado ou o futuro. Por isso, quando estiver produzindo algo, tente com todas as forças não interromper sua tarefa para pensar ou fazer outra coisa. Tente fazer uma coisa de cada vez. Só assim você terá a calma e o tempo necessários para seguir para a próxima tarefa sem tanta ansiedade. E sem tanto sofrimento também.

Artigo de Américo José para a Folha de S. Paulo

Autor Américo José

É sócio-diretor da Cherto Atco, formado em Propaganda e Marketing. Atua há mais de 20 anos como consultor de empresas, desenvolve e ministra programas de treinamento. Colaborador das revistas Abcfarma, Novo Meio e Meu Próprio Negócio. Colunista da Folha de S.Paulo

Mais posts de Américo José

Deixe um comentário